[luzes.org] Medo de Dirigir: como enfrentar? 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco
O Site | Quem somos | Contato | Cadastre-se | Apoiadores
Equipe | Perguntas freqüentes

Home   Edições impressas   Cursos e Eventos   Todos os artigos  
Resenhas   Anuncie   Quer colaborar?  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre
Artigo (veja mais 7 artigos nesta área)

Medo de Dirigir: como enfrentar?

O medo de dirigir é comum para muitas pessoas e faz parte do dia a dia, entretanto muitas pessoas não procuram ajuda e acabam vivendo dependentes e repleta de privações. Mas existe como tratar deste problema, muito mais comum do que se pensa.

O ato de dirigir um veículo tornou-se uma necessidade e o não-dirigir promove discriminação e desrespeito pelo meio social e familiar. Entrar no carro, dar partida, engatar a marcha e dirigir até o trabalho, supermercado, shopping e padaria é um hábito comum para muitas pessoas. Porém, o que é habitual para essas pessoas é uma aflição para outras.

Certamente, todo mundo conhece alguém que possui habilitação, tem um automóvel, mas não dirige. O medo de dirigir está associado aos transtornos de ansiedade, que acabam provocando limitações, baixa auto estima e dependência. O estado de apreensão é tão significativo e incontrolável que as pessoas acabam desistindo de dirigir. Podem, muitas vezes, inventar desculpas para evitar essa situação ansiôgena e criticas dos que as rodeiam, "esse carro é muito grande, vou comprar um menor"; "condução publica é muito mais econômica"; "prefiro andar, é mais saudável".

Que tipo de motorista é você?

Fóbico - Tem habilitação, carro, mas anda a pé. 80% das que têm fobia de dirigir são mulheres, com Idade: entre 35 e 95 anos. E 20%, homens, de à0 a 50 anos.
Cauteloso - Motorista ideal. É da tipo educado na vida e educado no transito.
Mascarado - Pessoas aparentemente calmas e adequadas no trabalho e entre os familiares, mas que, quando estão no trânsito brigam porque sentem o poder ilusório em relação ao farto. Geralmente, depois de cometer alguma infração reconhecem e pastem desculpas.
Dono do mundo - Motorista que faz coisas erradas e, mesmo assim, acha que sempre tem razão.
Perigoso por natureza - Tem transtorno de personalidade e pede ter um surto psicótico no trânsito
Dirigir não é só uma necessidade, é uma atividade para nosso bem estar e para nossa liberdade. Certo,mas... como devo enfrentar o medo?

O primeiro passo é assumir, não sentir vergonha e procurar ajuda, pois é um problema que não é impossível de se resolver. Não tente continuar sozinho, forçar a barra, sem apoio psicológico adequado, só vai provocar mais ansiedade e aversão de dirigir. Atualmente, existem auto-escolas com psicólogos especializados em medo de dirigir.

Algumas dicas:
• Faça algum tipo de atividade física
• Treine a respiração, a ansiedade leva a respiração rápida e curta.
• Respire fundo!
• Faça Psicoterapia. O auto conhecimento ajuda muito.

DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS MAIS FREQUENTES



Em qual etapa da vida surge o medo de dirigir?
O medo de dirigir é comum na maioria das pessoas e faz parte do dia-a-dia de muita gente. Está associado aos transtornos de ansiedade, que acaba provocando limitações, baixa auto-estima e dependência de outras pessoas, dificultando no enfrentamento de situações no cotidiano do indivíduo.

Principais fatores relacionados ao medo de dirigir:
São vários, dentre eles acidentes graves ou leves, porém, a maior incidência que leva a pessoa ao medo de dirigir está relacionado ao tipo de personalidade, pois, o ato de dirigir acaba expondo o indivíduo à criticas e observações de outros. O ato de dirigir é uma habilidade motora física aprendida, semelhante ao ato de andar, escrever, digitar, etc.

Principais sintomas e medos freqüentes:
Os sintomas mais comuns são a sudorese, aceleração cardíaca e alteração da respiração. O indivíduo acaba evitando o carro, até mesmo deixando de comprá-lo, apresentando várias desculpas para não dirigir. Os medos mais freqüentes são o de tirar o carro da garagem, subir ladeiras, estacionar, atropelar alguém e bater o carro.

Implicações sociais no ato de dirigir:
Hoje em dia dirigir um veículo se tornou uma necessidade e o não dirigir promove uma discriminação pelo grupo social em que vive (familiar e profissional).

Perfil de quem tem medo de dirigir:
Segundo pesquisas realizadas, ficou constatado que a incidência de pessoas que procuram o atendimento relacionado ao medo de dirigir, se dá em maior proporção no grupo feminino, não excluindo também, a incidência no grupo masculino.

Que outros transtornos psicológicos interferem no medo de dirigir?
Pessoas predispostas a serem ansiosas ou depressivas, podem desenvolver outros transtornos psicológicos como o medo de falar em público, medo de subir em elevador, medo de altura, etc.

Como a psicoterapia de grupo pode ajudar a enfrentar o medo de dirigir?
Trabalhando os aspectos emocionais e práticos ao mesmo tempo, através do resgate da auto-estima, a redução da ansiedade, ressaltando os aspectos positivos da personalidade, levando o indivíduo ao auto-conhecimento.

Recomendações para enfrentar o medo de dirigir:
• Assumir o sentimento, não sentindo vergonha do medo, pois, é um problema muito comum que não é impossível de se resolver;
• É muito importante sentirem motivados a querer dirigir, enfrentando o problema do medo para assim tentar resolvê-lo;
• Nunca desistir, e não começar a ver o carro como algo estranho a você.

VOLTAR A DIRIGIR?
UM DESAFIO A SE VENCER !
Fobia no trânsito, medo de dirigir. Esses são alguns dos motivos que levam um grande numero de pessoas a deixar de dirigir, ou simplesmente não conseguir tirar a carteira de habilitação. Para tentar reverter este quadro pode-se desenvolver um trabalho de reeducação para o trânsito com o objetivo de despertar o interesse e oferecer máxima segurança ao motorista ao assumir a direção.

“São vários os motivos que levam uma pessoa a abandonar o dirigir, seja por ter vivenciado um acidente (traumático) ou até mesmo ser desestimulado por alguém muito próximo” (leia-se familiares, pais, namorados).

Publicado em 11/03/2009 às 10:23 hs, atualizado em 04/09/2012 às 14:43 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 7 ARTIGOS SOBRE :
O Pensamento e a Alergia
Síndrome do pânico. Você pode imaginar o que é sentir isto?
O Que é Depressão?
Violência doméstica, Crise de Valores e Violência
Não consigo emagrecer. A quem você deseja agradar?
Transtorno Obsessivo Compulsivo
Dependência dos outros: o vazio que só você mesmo pode alimentar

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da Psicologia e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: contato@luzes.org
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.