[luzes.org] A importância do contrapiso para a colocação de pisos vinílicos 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco
O Site | Quem somos | Contato | Cadastre-se | Apoiadores
Equipe | Perguntas freqüentes

Home   Edições impressas   Cursos e Eventos   Todos os artigos  
Resenhas   Anuncie   Quer colaborar?  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre Advocacia
Artigo mais recente (veja mais 28 artigos nesta área)

A importância do contrapiso para a colocação de pisos vinílicos

Por Arq. Me. Iberê Moreira Campos equipe


Atualmente as obras requerem grande velocidade e perfeição na sua execução. Há necessidade de várias atividades simultâneas, muitas vezes com dependência entre elas. Para exemplificar, é impossível colocar um acabamento de piso sem que a laje esteja pronta e regularizada com o contrapiso. E é disto que queremos falar, da importância do contrapiso não só para colocação dos pisos vinílicos mas também para assentar cerâmicas e acabamentos à base de madeira e outras fibras, como os carpetes.

Quando está contruindo, muita gente (inclusive os profissionais) pensa mais na cor e no tipo de acabamento do piso e se esquecem da importância do contrapiso, que é a base para aplicação dos revestimentos.

O contrapiso tem diversas funções dentro do sistema construtivo, dentre as mais importantes, destacam-se:
  • Servir de suporte para o revestimento de piso e seus componentes,
  • Corrigir pequenos desníveis na laje do piso,
  • Resistir às cargas atuantes durante a utilização, sem apresentar rupturas,
  • Embutir tubulações elétricas e hidráulicas,
  • Incorporar sistemas de impermeabilização,
  • Complementar sistemas de isolamento acústico ou térmico,
  • Proporcionar os caimentos necessários para os diversos tipos de uso dos ambientes,
O último item, em especial, é bem conhecido das donas de casa. Parece que muitos pedreiros desconhecem a importância dos caimentos no piso, colocando o ralo sempre no ponto mais alto do piso, e não onde deveria, que é justamente no local mais baixo proporcionando o correto escoamento das águas. E é o contrapiso que faz esta função, o acabamento de piso, seja qual for, é apenas uma “casquinha” que recobre o contrapiso e pouco tem a ver com o caimento, que deve ser dado no contrapiso.

Nem todo piso precisa de caimento, este só é usado em locais que recebem grande quantidade de água, como é o caso dos pisos de banheiros, cosinhas e áreas externas. Nos outros ambientes, o contrapiso deve ser perfeitamente nivelado para que os móveis e acabamentos sejam colocados com facilidade e dê aquele aspecto de obra bem feita.

Características do contrapiso

O bom desempenho do contrapíso está diretamente relacionado à algumas características e propriedades que devem ser observadas em sua execução, tais como:
Aspereza, determinada em função da granulometria da areia utilizada,
Poucas Ondulações. O resultado esperado é obtido face ao método de desempeno utilizado e da habilidade e capricho do profissional.
Resistência mecânica, decorrente dos materiais utilizados e de suas dosagens. Recomenda-se argamassa com traço de 1:3, respectivamente, para cimento e areia.
Quantidade de água da mistura e etapas de execução. A água deve ser a estritamente necessária, nem mais nem menos, e a argamassa deve ser espalhada em pequenas camadas, devidamente adensadas, se a espessura a cobrir for superior a 2 ou 3 centímetros.
Capacidade de absorver as movimentaç ões naturais da estrutura.
A observação de algumas características do contrapiso tem fundamental importância na durabilidade do revestimento nele instalado. Por isso, deve-se conhecer inicialmente o local a ser revestido e o estágio de execução da obra. Com isso, será possível orientar ao executor as características necessárias ou realizar a avaliação de um contrapiso já existente.

Passo a passo da execução

Agora que já vimos a importância e principais características dos contrapisos, vamos literalmente por a mão na massa, vendo passo-a-passo como fazer um bom contrapiso. A massa do contrapiso deve ser bem seca, parecido como uma farofa. Acompanhe:
1 Após limpar a base e retirar todos os restos de argamassa, entulho ou qualquer material aderido o primeiro passo é fazer a tranferência de nível com o auxílio de um nível de mangueira (ou nível laser) a partir do nível de referência
2 Marcar a altura do contrapiso com o auxílio de uma trena
3 Sobre a superfície limpa, jogar uma mistura de água e adesivo na área onde as taliscas serão executadas.
4 Polvilhar cimento sobre a mistura.
5 Com a ajuda de um vassourão, escovar a massa. Essa mistura serve de ponte de aderência entre a laje e o contrapiso
6 Colocar a argamassa sobre a superfície
7 Depois de nivelar a argamassa, colocar a talisca (um pedaço de cerâmica ou madeira)
8 Com auxílio da trena e prevendo o caimento no sentido dos ralos, conforme o projeto, confira a altura do nível do contrapiso. Faça as outras taliscas do local
9 Com um fio esticado, confira a altura das taliscas
10 Aplicar sobre toda a base a mistura de aditivo e água
11 Em seguida, polvilhar cimento sobre toda a base
12 Com o auxílio do vassourão, escovar toda a área
13 Jogar a “farofa” do contrapiso
14 Com a ajuda de uma enxada, preencher os intervalos entre as taliscas, espalhando a argamassa em movimentos contínuos, para que não seque rápido demais
15 A argamassa deve ser compactada com um soquete de madeira. Esse processo deve ser feito até que a argamassa de contrapiso chegue no nível marcado com o fio.
16 Após compactar a argamassa, sarrafear com movimento de vai-e-vem, apoiando a régua de alumínio nas taliscas.
17 Sarrafear a sobra até que a superfície alcance o nível das faixas em todos os lados da área do contrapiso.
18 Sobre as falhas e pequenos buracos, colocar um pouco de argamassa e nivelar a superfície até ficar totalmente lisa
19 Desempenar a massa, alisando e dando o acabamento final no trabalho com o auxílio de uma desempenadeira de madeira (ou de alumínio, se necessário)

Conclusão

Não queremos que você, empreendedor, arquiteto ou engenheiro, vá fazer contrapisos. O objetivo deste artigo é mostrar a importância de um bom contrapiso e como deve ser feito, para que se possa acompanhar a obra e certificar-se de que o profissional que está executando o contrapiso está seguindo as providências recomendáveis. Esperamos que tenha sido útil!
Fonte: Boletim Técnico da Fademac, Edição número 1, fevereiro de 2007
Este artigo foi produzido com informações fornecidas pelo Departamento Técnico da Fademac, que pode ser contatado através do telefone 0800-119122, de segunda à sexta-feira, das 10 às 16h. Ou pelo e-mail: atendimento@fademac.com.br


Publicado em 11/07/2007 às 09:16 hs, atualizado em 01/07/2016 às 10:47 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 28 ARTIGOS SOBRE :
Tubos e conexões PPR para água quente: economia e praticidade na substituição ao cobre
Dúvidas mais comuns em relação aos pisos vinílicos
Obra parada, resultado da falta de planejamento e de administração
Sistemas de home theater e suas implicações na arquitetura e decoração
Reforma de casas antigas: substituição de forro de estuque atacado por umidade e cupins
Solo-cimento, solução para economia e sustentabilidade
Evitando problemas durante pintura de imóvel
Procedimentos e cuidados na execução de alvenaria
Arquitetura e segurança em casas de campo e de praia
Dúvidas comuns em relação à estrutura de piscinas, para construção e reforma
Dimensionamento cuidadoso e execução correta garantem instalação elétrica de qualidade
Orientações e cuidados para revestimento de piso com pedras naturais
Reforma de casa ou apartamento requer planejamento, bons profissionais e diplomacia
Água quente nos banheiros: qual é a melhor opção de aquecedor, elétrico, gás ou solar? Central ou localizado?
Alvenaria com tijolos comuns
Design Universal na Arquitetura
Tipos de tijolo para alvenaria
Dicas básicas para um edifício sustentável
Banheiro inclusivo e Universal Design: segurança e comodidade
Que fatores valorizam ou desvalorizam um imóvel?
Piscinas exigem cuidado e atenção durante o ano todo
Como fazer a retificação de área no Registro de Imóveis
O que é retrofit?
As cores e seus significados
A influência da Arquitetura na Segurança
O que é Arquitetura sustentável?
Origens da sustentabilidade em arquitetura
Piscinas: dicas para construção e manutenção

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da Esoterismo e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: contato@luzes.org
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.