[luzes.org] Quanto cobrar num projeto de reforma de uma edificação? 
Professor Iberê
Arquiteto, Psicanalista e escritor
Publicações • Cursos • Eventos • Artigos
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco
O Site | Quem sou? | Contato | Cadastre-se | Apoiadores
Equipe | Perguntas freqüentes

Home   Revista PnP   Revista PeC   Cursos e Eventos   Todos os artigos  
Boletins   Anuncie   Quer colaborar?   Dúvidas técnicas  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre
Artigo (veja mais 43 artigos nesta área)

Quanto cobrar num projeto de reforma de uma edificação?

Por Arq. Me. Iberê Moreira Campos e equipe

A primeira coisa é fazer uma estimativa do gasto e dos trabalhos do arquiteto que serão necessários, de acordo com o que foi explicado na aula (custo pelo CAU, etc.). Uma obra destas não se recomenda fazer por administração, visto que para tanto você precisaria ir quase todos os dias para Vinhedo ou então ficar por lá alguns dias da semana, ainda mais que a leitora ainda não tem prática com obras (pelo que ela mesma conta). Então, o ideal seria fazer apenas a fiscalização da obra, cobrando por visita ou então um valor mensal. Desculpe-me não poder ser mais específico, mas não conheço o caso e foram poucas as informações fornecidas.

Réplica da leitora

É uma reforma de interiores. Já consegui alguns valores de materiais e móveis para a estimativa do gasto. Posso cobrar 1% para fazer um projeto bem detalhado e falo para eles procurarem todos os fornecedores, e posso fazer algumas visitas para ver se está de acordo. Para eu procurar todos os fornecedores ficaria mais caro, certo? Eles disseram que dispõem de mais ou menos 55 mil, mas imaginam que devem ter até uns 60 mil. Gasto R$ 65,00 de gasolina e pedágio, seria muito abusivo cobrar R$ 100 pela minha visita?

Nossa Resposta

Parece que a arquiteta deve estar muito querendo esse trabalho, mas está sendo “boazinha” demais com o cliente e pode acabar se prejudicando... Veja, um projeto de decoração não pode custar apenas 1% do valor do objeto. Isto é o que se cobra para fazer um projeto grande, como o de um prédio de apartamentos. Decoração é um dos projetos mais caros que existem, porque é trabalhoso para o profissional... Pode-se gastar um dia inteiro só para definir as cores de um único ambiente, e isto não vale apenas 1% do valor da obra.

Um trabalho de decoração geralmente é cobrado na faixa de 10 a 20%, claro que variando para mais ou para menos de acordo com o cliente, o profissional e a situação, mas nunca seria de 1%.

O mesmo se pode dizer em relação à visita. Se o profissional vai gastar R$ 65 só de gasolina e pedágio, certamente não poderá cobrar apenas R$ 100 a visita. O carro não gasta só gasolina, tem o desgaste do equipamento, pneus, óleo, manutenção, o tempo que gastamos dirigindo, etc.

Aliás, o tempo do profissional é o mais caro disso tudo. Um arquiteto que se preza não pode cobrar menos de R$ 50 a hora, a valores de 2017, mas acredito que se fizermos as contas na ponta do lápis não vai custar menos de R$ 80 mesmo se formos condescendentes e deixarmos de cobrar despesas como aluguel, telefone, impostos e coisas assim. Se colocarmos só o tempo de viagem, digamos, 1 hora para ir, e outra para voltar, já teríamos que cobrar R$ 65 + 50 + 50 = R$ 165, fora o tempo que vai gastar no local.

Agora, o “balde de água fria final” (desculpe...)... Um capital de R$ 55 mil para gastar com decoração é relativamente pequeno... Um jogo de sofás, uma mesa de jantar e 6 cadeiras de qualidade razoável (nem estou falando de algo de grife) já vai custar por volta de 15 a 20 mil. Uma pintura bem feita vai custar mais ou menos isso também. Se formos mexer na cozinha, outro tanto desses e... Bem, acabou-se o dinheiro...

Num orçamento assim limitado, talvez seja melhor a arquiteta cobrar apenas para fazer algumas reuniões, para analisar o caso e dar algumas idéias, eventualmente acompanhar o proprietário a algumas lojas e pronto. Acredito que haverá pouca oportunidade para fazer um projeto de decoração, como manda o figurino e como gostaríamos de fazer...

Mas trabalho é trabalho, o jeito é obter o máximo que conseguir e seguir em frente. Nunca se sabe se este cliente vai indicar outro cliente, ou se de repente esse mesmo cliente resolve investir um capital maior. Mesmo que o arquiteto tome prejuízo num trabalho inicial, a gente precisa começar por algum lugar, não é mesmo? Então vamos em frente!

Publicado em 03/04/2018 às 17:53 hs, atualizado em 03/04/2018 às 17:55 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 43 ARTIGOS SOBRE :
Numa construção ou reforma, de quem é a responsabilidade pelos encargos trabalhistas? Do proprietário ou do empreiteiro?
Como usar o CUB para estimar valor de reforma de apartamento
Quanto um profissional liberal deve cobrar pelo deslocamento com automóvel próprio para fazer um atendimento a cliente?
O que o contrato com empreiteiro de uma obra tem a ver com o imposto de renda sobre lucro imobiliário
Em nome de quem devem ser tiradas as notas fiscais de uma construção? Em nome do proprietário ou do engenheiro?
O que devo fazer numa visita técnica a uma construção que estou fiscalizando?
Forro de estuque tem amianto? Como demolir e descartar sem prejudicar a saúde das pessoas?
Qual é a forma mais barata de fazer a reforma de uma casa?
Quando se pode derrubar uma parede sem prejudicar a segurança do prédio?
Diferença entre área útil, comum e total em um edifício comercial
Quanto tempo depois de concretada a calçada um carro pode passar nela?
A importância do Habite-se (auto de conclusão de obra)
A importância do contrapiso para a colocação de pisos vinílicos
Tubos e conexões PPR para água quente: economia e praticidade na substituição ao cobre
Obra parada, resultado da falta de planejamento e de administração
Na ponta do lápis: será que é bom negócio construir para vender?
Reforma de casas antigas: substituição de forro de estuque atacado por umidade e cupins
Tipos de solo e investigação do subsolo: entenda o ensaio a percussão e seu famoso índice SPT
Evitando problemas durante pintura de imóvel
Procedimentos e cuidados na execução de alvenaria
Orientações e cuidados para revestimento de piso com pedras naturais
Reforma de casa ou apartamento requer planejamento, bons profissionais e diplomacia
A importância do ar condicionado na construção: muito além do ar fresco
Cobre valorizado no mercado internacional afeta Brasil e incentiva roubo de condutores elétricos e de cargas
Cal hidratada nas argamassas
Critérios de medição em obra
Alvenaria com tijolos comuns
Medição de vidros e a eterna questão do custo versus preço
Tipos de tijolo para alvenaria e suas características
Tubos em PPR, boa alternativa ao cobre nas tubulações de água quente
Conexão à rede pública de esgoto e o controle de roedores
Dúvidas Mais Freqüentes no uso de Tubos de PVC
Como fazer a retificação de área no Registro de Imóveis
Conheça os três tipos principais de solo: areia, silte e argila
Verniz ou stain: qual é a melhor opção de acabamento para madeira aparente?
Concreto Usinado - Dicas para a Compra
Areia para construção civil: como comprar e como usar
Pedra (agregado graúdo) para construção – escolhendo e usando
Otimizando o uso de brita no concreto: o Teste da Lata
Melhorando a qualidade do concreto feito em obra
O que é alvenaria estrutural?
Bacias sanitárias e o consumo de água
As dificuldades no reuso de materiais de construção

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da Iberê M. Campos e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: contato@luzes.org
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.