[luzes.org] Dúvida em contrato de trabalho feito em parceria entre arquiteto e engenheiro 
Professor Iberê
Arquiteto, Psicanalista e escritor
Publicações • Cursos • Eventos • Artigos
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco
O Site | Quem sou? | Contato | Cadastre-se | Apoiadores
Equipe | Perguntas freqüentes

Home   Edições impressas   Cursos e Eventos   Todos os artigos  
Boletins   Anuncie   Quer colaborar?   Dúvidas técnicas  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre
Artigo (veja mais 29 artigos nesta área)

Dúvida em contrato de trabalho feito em parceria entre arquiteto e engenheiro


Como sempre se faz com honorários profissionais de arquitetura e engenharia, vamos começar avaliando o valor da obra. Pelo que pudemos constatar, o CUB na Bahia (local da obra) para residências com acabamento padrão alto (R1-A) está em torno dos R$ 1.800. Isto coloca o valor básico da obra em 160 x 1800 = 280.000. Somando-se o valor da fundação e alguns imprevistos, podemos facilmente colocar o valor da obra na faixa dos R$ 300.000. Este valor não inclui a parte externa, que devera ser objeto de outra proposta. Note-se o seguinte:

1 – Partindo-se do custo acima, o valor total a ser gasto pelo cliente vai chegar facilmente na casa dos R$ 450 a 500 mil, considerando-se o BDI e despesas com projeto, administração da obra, custos financeiros, impostos, imprevistos e erros e assim por diante.

2 – Possivelmente será preciso fazer uma ou mais viagens até o local. Se a arquiteta for custear isto do seu próprio bolso vai estourar o orçamento.

3 – A arquiteta vai precisar estudar a legislação da cidade, o que representa um tempo extra e que talvez não seja aproveitado em outro projeto (só o será se ela vier a fazer outro projeto na mesma cidade).

4 – No item “condições de trabalho” que consta da proposta foi citada a cobrança por hora-técnica dos serviços prestados, mas não foram mencionadas as despesas com viagens, estadias e transporte. Seria preciso estabelecer como estes itens serão cobertos pelo contrato com o engenheiro.

5 – No item “preços e formas de pagamento” seria melhor dividir em mais etapas do que as 3 que constam atualmente. Assim o cliente vai pagando mais suavemente, sentindo menos o valor total, e para a arquiteta fica melhor porque não precisa ficar tanto tempo trabalhando sem receber. Fora isto, é mais fácil o cliente pagar, digamos, seis parcelas de R$ 1.000 do que uma parcela de R$ 6.000, sem falar que as parcelas menores implicam em um recolhimento de impostos menor.

A proposta apresentada pela arquiteta está na faixa de 5% do custo básico, o que é um preço bem camarada para um projeto arquitetônico completo, supondo-se as condições atuais do mercado, pois pela tabela do CAU o valor seria em torno dos 9% (R$ 27.000).

Assim, nossa opinião é que a proposta está boa, mas ficaria melhor se completada com algumas das informações acima comentadas. Nota-se a preocupação da arquiteta pelo fato do engenheiro não ter sequer respondido a proposta. Claro que estas são apenas opiniões pessoais, mas para bom entendedor meia palavra basta – provavelmente ele não vai fazer a parceria. Pode ser porque não valoriza o projeto arquitetônico (e não quer pagar por ele) ou então porque o cliente não gostou da proposta e ele não soube “vender” o trabalho. Caso a proposta tenha sido realmente recusada não acredito que seja culpa da arquiteta. Ela fez o que podia fazer, mas a vida é assim... A gente tenta de um lado, tenta de outro, até encontrar o nosso lugar no mundo dos negócios.

Publicado em 21/01/2008 às 18:44 hs, atualizado em 03/04/2018 às 17:27 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 29 ARTIGOS SOBRE :
Teria como pagar menos imposto em firmas de prestação de serviço de projeto e construção?
Como pode se regularizar perante a legislação o profissional que executa obras, além de fazer o projeto?
Qual o melhor tipo de contrato para o arquiteto ou designer executar obras? Fiscalização, administração ou empreitada?
Quanto o arquiteto ou designer deve cobrar um acompanhamento de obra?
Quer mudar de profissão? Cuidado com os enganos mais comuns!
Mãos a obra – crise é sinônimo de oportunidade
Qual é o valor da minha hora-técnica? Como calculo isso?
O arquiteto na administração de obras: vamos unir o útil ao agradável!
O que é uma consultoria e como vender isso?
Dificuldades para cobrar dos clientes de escritório de projeto e construção. Será que resolve emitir boleto para eles?
Como calcular o valor do quilômetro rodado para quem trabalha com obras na construção civil?
O que fazer quando o cliente não confia no administrador da obra?
Até onde vai a responsabilidade do arquiteto numa obra que executou?
Aplicação do método CUB em reformas de casas e outras edificações
Como orçar uma reforma de edificação pelo método CUB
Qual a diferença entre fiscalização, gerenciamento e administração de obras?
É possível transformar casa térrea em um sobrado?
Como lidar com os clientes que não pagam?
O arquiteto ou engenheiro deve cobrar taxa de visita para “dar uma olhada”?
ART de serviços terceirizados de uma obra sob responsabilidade de outro arquiteto ou engenheiro
Custo do homem-hora e a incidência dos encargos trabalhistas nos orçamentos
Alcoolismo no canteiro de obras é perigo iminente
Táticas para pedir (e conseguir) aumento de salário
Será que o Custo Unitário Básico (CUB) serve realmente para orçar uma construção?
Porque o arquiteto deve fazer a administração de obras
Espanhol cresce como ferramenta de trabalho
Perguntas mais comuns em uma entrevista de emprego(3/3)
Procedimentos em uma entrevista de emprego (2/3)
Preparando-se para uma entrevista de emprego (1/3)

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da Iberê M. Campos e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: contato@luzes.org
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.