[luzes.org] Teria como pagar menos imposto em firmas de prestação de serviço de projeto e construção? 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco
O Site | Quem somos | Contato | Cadastre-se | Apoiadores
Equipe | Perguntas freqüentes

Home   Edições impressas   Cursos e Eventos   Todos os artigos  
Boletins   Anuncie   Quer colaborar?   Dúvidas técnicas  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre
Artigo mais recente (veja mais 18 artigos nesta área)

Teria como pagar menos imposto em firmas de prestação de serviço de projeto e construção?

Por Arq. Me. Iberê Moreira Campos e equipe

Este assunto é um pouco extenso, tanto assim que dedicamos uma aula inteira do curso de “Gerenciamento de Escritórios de Projeto e Construção” para falar sobre isso. Aqui mesmo em nosso site já respondemos uma pergunta similar, sugerimos consultá-la clicando aqui. Em resumo, trata-se do seguinte:

O governo fechou várias portas que os prestadores de serviço nesta área podiam usar até 2017 para pagar menos impostos. Atualmente, se formos levar a coisa ao pé da letra, temos que pagar 15,5% para emitir uma nota de qualquer serviço ligado à arquitetura, engenharia e construção. A legislação chama isto de prestação de serviços intelectuais, e como tal estão sujeitos à tabela V do SUPERSIMPLES.

Se tomarmos a legislação ao pé da letra, portanto, no caso trazido pelo leitor, que já tem uma firma aberta, mesmo que de informática, o correto seria modificar o contrato social da sua empresa para abranger os trabalhos que faz como arquiteto. Alternativamente, poderia fechar a empresa atual e abrir uma nova, precisaria analisar a situação para saber qual é a melhor alternativa.

Se for para modificar a empresa atual, é preciso pedir para o contador manter as atribuições que já tem na área de informática e acrescentar as de arquitetura e construção. Afinal, podem surgir outros trabalhos nesta área ou então o leitor pode querer prestar serviços de arquitetura para algum cliente que aceite receber nota de serviços de informática, só para fazer constar no caixa a saída do dinheiro.

Então, a princípio, o ideal seria isto, ou seja, deixar a firma habilitada para fazer diversos tipos de serviço (e poder tirar nota disto) porque, sempre que possível, tiramos nota na tabela III (pagando 6%) ao invés de usar a tabela V (pagando 15,5%, em valores de 2018).

Fazendo assim, não necessariamente vai aumentar a carga de impostos que o eleitor paga, mas ficará preparado para trabalhar para empresas maiores, que realmente precisam da nota fiscal exatamente como determina a lei. Digo isto porque em muitos casos o leitor pode trabalhar como profissional autônomo, neste caso pagando o carnê-leão (mensal) ou então deixando para fazer o ajuste final na declaração anual do imposto de renda.

É importante lembrar que, quando a gente tem firma, além dos impostos pagos sobre o valor das notas, ainda temos que pagar o imposto na pessoa física quando retiramos dinheiro da firma (seja na forma de pró-labore ou de distribuição de lucros). Em outras palavras, o imposto como pessoa física será pago (ou calculado) de qualquer forma, por isso reservamos as notas fiscais apenas para os casos em que elas realmente são necessárias e exigidas pelos clientes do prestador de serviços.

Publicado em 14/05/2018 às 10:43 hs, atualizado em 14/05/2018 às 11:13 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 18 ARTIGOS SOBRE :
Uso do CUB para avaliar reforma de sala comercial em prédio de escritórios
Quanto um profissional liberal deve cobrar pelo deslocamento com automóvel próprio para fazer um atendimento a cliente?
Qual é a forma mais barata de fazer a reforma de uma casa?
Quanto tempo depois de concretada a calçada um carro pode passar nela?
A importância do Habite-se (auto de conclusão de obra)
Alcoolismo no canteiro de obras é perigo iminente
Obra parada, resultado da falta de planejamento e de administração
Reforma de casas antigas: substituição de forro de estuque atacado por umidade e cupins
Reforma de casa ou apartamento requer planejamento, bons profissionais e diplomacia
Será que o Custo Unitário Básico (CUB) serve realmente para orçar uma construção?
Critérios de medição em obra
Medição de vidros e a eterna questão do custo versus preço
Como fazer a retificação de área no Registro de Imóveis
Concreto Usinado - Dicas para a Compra
Areia para construção civil: como comprar e como usar
Pedra (agregado graúdo) para construção – escolhendo e usando
Otimizando o uso de brita no concreto: o Teste da Lata
Melhorando a qualidade do concreto feito em obra

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da Thecnica Sistemas e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: contato@luzes.org
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.